Um sujeito chega ao céu, onde é recebido por São Pedro.


Após os cumprimentos, São Pedro explica-lhe que, para entrar, os homens têm que cortar a pila.

– Que disparate, São Pedro ! Como é que eu vou cortar uma coisa que na Terra me deu tanta alegria ?!?

– Não há outra forma, meu filho. Aqui, no céu não há sexo. Ou deixas cortar, ou não entras.

O tipo olha para baixo, vê as caldeiras fumegantes do inferno, e acaba por aceitar.

É levado a uma sala onde há três pessoas à espera.

Pouco depois chega uma anjinha muita linda, vestida de enfermeira, com as asinhas envolvidas em película esterilizada e manda entrar o próximo.

Segundos após, ouvem-se vários gritos de dor. Silêncio … !!!

Volta a anjinha e chama mais um. Desta vez ouve-se apenas um grito forte, de dor, e depois … silêncio …

Quando chega a vez do terceiro, nada se ouve. Silêncio profundo …

Chega a vez do sujeito.

Ele pede à anjinha uma explicação a respeito dos gritos diferentes e ela responde, muito surpreendida:

– Não te explicaram ?!? Então é assim … aqui, a gente corta tal coisa de acordo com a profissão que o dono teve na Terra.

O primeiro gritou muito porque eu lhe serrei a pila, já que ele era serralheiro.

O segundo deu só um grito forte porque foi cortada de uma só vez, ele era talhante.

O terceiro não gritou porque era médico e foi anestesiado antes.

O nosso amigo desata a rir às gargalhadas.

Sem entender nada, a anjinha fica a olhar.

Então, o rapaz desaperta os botões das calças e diz à anjinha:

– Chupa até ele cair, meu amor ! Na Terra, eu era vendedor de gelados …