“Mas as pessoas não-energúmenas que aqui estão imaginem o seguinte: a indústria sapateira portuguesa produz uns sapatos para a estátua da liberdade. Para a noite, umas pantufas. Sandálias, para o verão. Um stilettos, para o 4 de Julho. Crianças a passarem e a perguntarem aos pais: “Papá, o que é aquilo? Quem calça a liberdade?” E diz o pai: “É Portugal, filho. Portugal calça a liberdade.” Veja a poesia disto. “ in Mixórdia de Temáticas