“O chinês não, porque o chinês, se quiser, não respira. O chinês é um gajo que, se mete na cabeça que não respira durante duas semanas, não respira durante duas semanas. Que os gajos têm técnicas. E eu precisava de um gajo desses, de Shaolin. Que o gajo lavava-me as pipas e ainda me guardava o lagar, à noite. Às vezes vão lá bêbados para roubar garrafas e o chinês dava-lhes uma chapada ou duas. E o espectáculo que é, porque eles dão aqueles saltos muito altos, e sabem andar à mocada com paus. Mas um empresário, como eu, que queira ir buscar um chinês, não o deixam.” in Mixórdia de Temáticas